Sunday, February 05, 2017

IMPROVISAÇÃO? NÃO, O TRUMPISMO TEM UM PLANO


A primeira nota a tirar do caudal de "ordens", contra a "Ordem" estabelecida há décadas, emitidas por Trump de enxurrada imediatamente à tomada de posse é a noção de que não se tratou de qualquer improvisação mas de actos pensados, estudados há muito tempo e julgados maduros para meter em prática agora, rapidamente e em força.
Ninguém podia improvisar, em horas, tomadas de decisão tão decisivas e imprevisíveis para o mundo sem que haja já preparado ou um plano ideológico de grupo ou uma vontade de louco. Contudo nada indica que Trump seja um louco mas somente uma personalidade crente anormal na força da vontade para mudar o mundo.
Portando, uma vez tomada a consciência de que não se trata de improvisação, temos de admitir que se trata de um plano estudado e caracterizado por ideias bem definidas e expressas em meios restritos mas que já andavam à solta fazendo e preparando caminho.
Essas ideias foram ganhando apoios e consistência e os grupos apoiantes reunidos à volta dos seus ideólogos pensadores julgaram ver e ser, nas recém-eleiões, o tempo já maduro e certo para lançar um dos seus homens de mão capazes de levar a carta a garcia. E não se enganaram quando pensaram realisticamente que eram capazes de ser eles a levar na sua onda a maioria de um eleitorado tão grande e diferenciado como o norte americano. Se não acreditavam em tal proeza também não deixaram de lançar o barro à parede a ver se pegava; e pegou estrondosamente.
Para tal contribuiu grandemente o homem de mão escolhido já popularizado como engraçado entertainer televisivo que propalava ideias sérias e caras ao seu ideário político através do engraçadismo mediático mas que ninguém tomava a sério politicamente.
Se o eleitorado que o podia travar não o tomou devidamente a sério nem mediu racionalmente as consequências futuras possíveis, agora, uma vez o homem à solta com um poder à escala universal nas mãos, mais difícil se torna entendê-lo e enfrentá-lo.
O primeiro passo para estabelecer uma estratégia de negociação ou confrontação será descobrir qual a finalidade do plano em curso gizado pelo trumpismo. Caso seja um plano de lunáticos a executar por um paranóico super-homem ainda mais urgente é conhecer as consequências e males dele para tentar uma resolução ou cura com o mínimo de efeitos secundários.

Labels:

0 Comments:

Post a Comment

<< Home