Saturday, July 12, 2014

CONVERSA DE PUTA FINA ACERCA DE GENTE BRILHANTE.


Ante-ontem na quadratura, lobo-xavier, o sofista-mor do reino, advogou que bento e mota pinto e outros psd e cds designados para o BES o foram por direito próprio porque são gente brilhante por elevada nobreza académica. E acrescentou que isso era o contrário de Vara, o pobre-diabo obscuro iletrado.
Antigamente diria que aqueles doutos brilhantes do psd/cds podiam ser banqueiros por direito divino e que o plebeu empregado bancário devia limitar-se a essa qualidade de bancário porque tal já era um luxo para gente da arraia-miúda, tosca sem luz nem brilho.
Até impressiona a força interior que António Costa faz, às vezes até parece que morde a língua para a não soltar desabrida, e ainda soltar um leve sorriso sobre tanta conversa de puta fina.
Gente brilhante foram todos os grandes filósofos da antiguidade que criaram modelos sociais filosoficamente perfeitos que foram rejeitados e rechaçados pelos povos.
Gente brilhante foram os filósofos recentes dos Séc. XVIII e XIX que fizeram a apologia e propuseram o uso "do poder da vontade", do ser "superhomem", do "socialismo científico" e outros modelos sociais para criar a sociedade perfeita entre os homens mas que a mesma sociedade sempre enjeitou.
Gente brilhante foram lenine, hitler, franco e salazar que retiraram dos escritos desses filósofos brilhantes a parte que lhes interessava para imporem, com ideais cheios de brilho reluzente, modelos sociais concentracionários sobre os povos que levaram a guerras de genocídios.
Gente brilhante foram os banqueiros psd do bpn que brilhantemente criaram um banco para sacarem milhões para o bolso próprio e agora se gabam de que não precisam da política para viver.
Gente brilhante são os intelectuais como o vpv, o morto mgm, o vivaço pacheco e outos que não tem feito mais que cheirar o cu de cavaco, manuela, passos e rui rio, analfabetos morais e intelectuais a quem bajulam para obterem poder de influência como sendo sábios junto de néscios.
Gente brilhante são o gaspar, moedas e rato ainda vivos e o morto borges que com brilho macabro aplicaram austeridade a mata-cavalos e mataram a economia, o estado social, a classe média e levaram o povo ao estado de gente miserável enquanto eles se lambusam no pote.
Gente brilhante é o carlos costa do bdp, tão brilhante que:
. consegue fragmentar a memória, sem vergonha em sua brilhantíssima mente, no que lhe convém e se lembra do que não lhe convém e não se lembra mesmo quando há poucos anos era o chefão das contas off-shore do bcp as quais nunca organizou ou ordenou, nunca viu nem sabe nada e, subentendidamente, acha que os magistrados e juízes devem perguntar sobre contas em off-shores à mulher da limpeza do seu gabinete, talvez ela seja a pista certa.
. que neste momento, perante a convulsão e derrocada total do ges e do bes e demais associados por motivo de falcatruas organizadas, o costa, sereno, convicto do seu brilhantismo e nosso idiotismo, vem dizer-nos que o bes é um banco limpo, impoluto, sólido e saudável pleno de futuro; sobre crimes e ilegalidades bancárias cometidas e consequentes perdas de poupanças dos pequenos accionistas levados à miséria, o costa diz zero.
Sobre toda esta gente brilhante do psd e cds paira o gigantesco brilhantismo de cavaco e sua escola de mestrados e doutorados em "pilha-Estado" e como o fazer pagar pelos "pilha-galinhas". É também esta a escola onde bebe conhecimento o ultra-brilhante lobo-xavier.
Este até foi ao desplante de afirmar que nunca como hoje houve maior afastamento entre poder político e poder económico como se fosse possível ver afastamento entre o que é o mesmo, como se se pudesse diferenciar o que pertence ao único, está incluído no único, faz parte do mesmo e é o mesmo.
Claro, hoje não haveria qualquer discussão acerca do negócio desfeito da PT que Belmiro queria para encaixar milhões na venda acordada aos espanhóis seus parceiros no consórcio. Nem a ameaça de corte de licença de tv ao tio Balsemão face às irregularidades e manipulação informativa em proveito próprio tal como Belmiro passou a fazer com o "público" em represália pelo aborto da negociata da PT ou o santos pingo doce fez através de barreto na fundação e outros, porque Sócrates não lhes ia comer e beber à mão.
Claro, hoje, ninguém dá por tais distinções e diferenciações de opinião e modo de encarar os assuntos de Estado e porque aqueles banqueiros, merceeiros e donos dos media são também, na ideologia, na concepção e na acção, o próprio Estado.
A sofística de lobo-xavier consiste mesmo em salientar o que considera que era o mal entre o que havia de bem e agora já não existe mas porque, finalmente, agora só existe o mal que ele toma e nos quer vender como o bem.

Labels:

0 Comments:

Post a Comment

<< Home