Monday, August 27, 2012

O COSTRUTOR DA "FÓRMULA SÓCRATES"


PP, depois de dissertar sobre:
"o talvez mais preocupante sinal dos condicionamentos à liberdade de informação em Portugal se revele no estranhíssimo silêncio sobre o que se passa em Angola",
chegado ao finalmente da sua dissertação relativa à sua preocupação acerca da sua previsão sobre a sua relação da sua posição face à sua situação em contraposição à opinião do seu partido sobre informação ou não com certidão de sujeição, e tudo isto não sendo uma sua mui habitual e qualificada velhaca suspeição, remata em forma de chave-de lata-dourada, assim:

"Escrevo isto, com a sensação muito forte, de que, a continuar assim, em breve isto não vai poder ser escrito na comunicação social portuguesa."

PP, o grande privatizador da RTP como modo de matar a "asfixia democrática," incluída no pacote, a que o falhado Marcelo apelidaria pitagoricamente de "fórmula Sócrates", inexplicavelmente ainda não se pronunciou sobre o pornográfico modelo de privatização proposto pelo Borges, negado por um queque do CDS e um alarvóide ministro do PSD mas, considerado interessante pelo manda-chuva dótor Relvas e mantido em câmara escura pelo governo, para revelação em momento oportuno.

PP, o grande teorizador da privatização da RTP está calado e, entretanto anda preocupado à grande com a comunicação social portuguesa sem, contudo, ter sequer a sua aguda e sensível pituitária detectado um leve cheiro a "asfixia democrática".
PP, o que defendeu e tentou encobrir a existência e denúncia, no Parlamento, da doença das vacas loucas, talvez por tal tenha sido afectado e apanhado pela mesma. Ele, o insinuador-mor, que nessa qualidade deu origem a dezenas de parangonas nos media estilo "correio da manha" as quais, por sua vez, conduziram à invenção de um tipo de prostituição escrita e falada nos media, de tal modo que o seu efeito desaguou naquilo que o falhado Marcelo chama, agora, a "fórmula Sócrates".
Ao longo de anos seguidos ele, o insinuador-mor, foi o verdadeiro construtor da fórmula agora resumida pelo seu ajudante mixordeiro.

Pois este marmanjo intelectual, grande impulsionador da comunicação social que temos hoje, parece andar agora acagassado com os sinais perigosos que dá, este governo do seu partido, acerca de controlo e manipulação dos media através da corrupção generalizada à escala da totalidade hierárquica. Como o conteúdo e a forma do modelo da recém-proclamada privatização da RTP, comprovam.
Contudo, ele como historiador deveria saber, tal como dizem prosaicamente os portugueses que "quem com ferro mata com ferro morre", também já os gregos arcaicos, mais dados ao pensamento e à filosofia, quando julgavam os actos dos homens sem falsas morais, sentenciavam taxativa e implacavelmente; "Ares é imparcial, mata os que matam".

Labels:

0 Comments:

Post a Comment

<< Home