Saturday, May 28, 2011

FELGUEIRINHA, FILHA DE FELGUEIRA.



A Felgueirinha, filla da manienta e manipuladora descarada presidente FFelgueiras de Felgueiras, subiu de posto e poder na RTP e imediatamente veio a público dar nas vistas imitando o piorio das manhas de MMGuedes.
À boa maneira do jornalismo à portuguesa, depois de uns dias a despachar serviço em conversa em directo para cá, postada frente aos edifícios, cenarizando o ambiente num faz de conta, onde se desenrolam os desenvolvimentos do caso, remetendo-se tão somente a dar conhecimento do que se diz por lá, besbilhotando e dando nota do que diz a imprensa local, resolveu fazer "trabalho" de sua autoria.
Enviada para NY para reportar a caso DSK, ante-ontem, depois de uns dias em bisbilhotice pelos artigos e comentários de colegas locais para recolher umas notas para a "opinião" nos directos, que como se nota, quando ouvimos, tal opinião enviada já havia cá chegado por diferentes fontes, a menina grande repórter, servindo-se da RTP, publicitou à grande e fartazana um documentário sobre o caso DSK.
Tratava-se de um documentário em vídeo, cuja montagem e comentários sobre as imagens ficcionadas e manipuladas, para condenar sem réstea de dúvida ou reserva jurídica o DSK como bandido violador de mulheres. Ainda a justiça americana vai no adro sobre o caso e já a menina felgueirinhas, e a RTP portuguesa conivente, com truques de imagens, montagem e locução a condizer, montou tribunal no espaço público e fez julgamento sumário, atropelando códdigos e leis de um país estrangeiro, que tal cabecinha doida desconhece nem quer perceber.
Herdeira de mentalidade maternal para quem a realidade é o que pensamos e queremos que seja, pensou a menina que vendo, por imagens, o tratamento ríspido da polícia americana para com DSK, este era indubitavelmente culpado e estava à partida condenado sem apelo nem agravo. Esqueceu-se de um pormenor que faz toda a diferença: o Tribunal é que julga e profere a sentença que pode corresponder ou não à rispidez usada pela polícia, contudo, só depois de apurar e analizar todos os factos e aspectos dos acontecimentos.
Como se começa a constatar o Tribunal americano é muito mais cuidadoso e lento a julgar e condenar do que a justiceira mediática Spidy Gonzalez felgueirinha.
Quando a SIC arrasta a entrada de MMG em acção por receio que a coisa não pegue (ou caso o PSD seja governo não haja assunto que justifique tal jornalismo), a espertinha felgueirinha antecipa-se e inaugura na RTP o jornalismo de cão. Enraivecido, vá-se lá saber porque preconceito!

Labels: , ,

0 Comments:

Post a Comment

<< Home