Friday, April 22, 2011

ESTE HOMEM É UM DÓ DE ALMA OUVI-LO

O decadente e já meio tresloucado Barreto, afirmou na entrevista à RTP que os deputados são uma "manada", votam em manada.
E debitou outras pérolas mais ou menos de calibre semelhante contra os partidos e os políticos do país.

Este homem, numa sua antiga crónica num jornal diário de referência, quando há uns anos passava férias de Verão, disse que a única coisa que se aproveitava no Algarve era o supermercado "Apolónia".
Este homem já afirmou, a propósito da lei anti-fumadores nos locais públicos, que Sócrates era fascista.
Este homem já afirmou, aquando da discussão do computador "magalhães" que este era um perigoso mal para as crianças e uma desgraça para o país e concluia que "Portugal está em risco de desaparecer".
Este homem disse numa recente entrevista, com benzedura e amén de Crespo e Medina Carreira, que Mário Soares lhe metia dó, que já não conseguia ler os seus artigos atá ao fim, que chegado a meio da leitura não aguentava mais tanto irrealismo e ataque idiota à culpa dos dirigentes europeus.
Este homem, ainda mais recentemente, disse que o pedido de ajuda ao famoso FMI era um "golpe de Estado" planeado por Sócrates.

Este homem, quer ser agora mediador de um tal "compromisso" de conciliação ou entendimento mínimo entre partidos e principais dirigentes políticos actuais. E para isso encosta-se ao patrão merceeiro Soares e veja-se bem, a Mário Soares que ele diz já não poder ler ou escutar.
Sem o mínimo de idoneidade e credibilidade política junto dos actores políticos dadas as contínuas barbaridades proferidas contra os mesmos políticos que agora tenta mediar, socorre-se do velho tigre guardião da liberdade e da política portuguesa, para conseguir, ao menos, um mínimo de aceitação e ser ouvido ou recebido.
Este homem, que se diz há vinte anos fora da política mas que ultimamente não fez outra coisa que fazer política por meio do insulto à política e aos políticos, que não pára de rebaixar a política ao nível do malefício, que trata a classe política como mafiosa é agora pretendente a conciliador dos ditos malfeitores encartados.
Este homem, este homem sim, é um dó de alma ouvi-lo.

Labels:

1 Comments:

Blogger João Brito de Sousa said...

ANTÓNIO BARRETO.

Concordo com a análise.

Como é possível, pessoas que demonstraram elevado estatuto intelectual, desçam ao nível que tu apontas e eu concordo.

Deixo-te um abraço.

JBS

3:20 PM  

Post a Comment

<< Home