Friday, April 20, 2012

A EM520, SR. PRESIDENTE MACÁRIO CORREIA


O senhor Presidente Macário Coreia a certa altura, antes das eleições e até durante algum tempo depois, mantinha uma certa empatia com o nosso sítio dos Gorjões e nesse tempo deu a impressão aos gorjomenses que tinha uma dívida para cumprir com a nossa padroeira, Santa Catarina, a nosso respeito.

Provavelmente depois de dois anos a carregar o andor de Santa Catarina às costas na procissão local, deu por saldado o seu compromisso com a Santa e daí o progressivo desaparecimento pessoal por bandas desta extrema concelhia, como tal e per cause novamente desprotegida.
E realmente parece que temos de voltar a pedir à Santa nossa padroeira que interceda por nós ou voltaremos a ficar ao abandono até novas eleições renhidas. Sim renhidas, por que só desse modo e medida, quando o voto de pequenos aglomerados contam e podem ser decisivos, a predisposião para solicitar a intevenção da Santa e esta satisfazer pedidos, aumenta exponencial e notoriamente.

Mas senhor Presidente, se não pode passar por cá envie alguém por sí e, se possível, um bom técnico sabedor de obras de estradas. Claro, pode aproveitar olhar como dono da obra, pela execução da empreitada de águas e esgotos para o Sítio que agora, o actual andamento indica estar naquela fase pior de "esfolar o rabo" que sempre empata a conclusão.
Deve enviar cá um bom técnico de estradas e bom conhecedor e observador de trabalhos bem feitos para não deixar passar o logro que são as reparações ou reposições de pavimento nas áreas de abertura de valas ao longo da EM520. Digo-lhe logo e claramente que, não obstante a razoável reposição de pavimento nas áreas directamente afectadas, o estado da EM520 está ficando muito pior do que existia anteriormente e a circulação nela muito mais perigosa.

Muito pior em termos de pavimento porque embora em metade seja reposto pavimento novo na outra metade, ao contrário, o já fino e débil pavimento que existia foi quase completamente destruido pela acção da panóplia de maquinaria pesada de abrir valas, tapar valas e transporte de terras e materiais.
Pela dura e necessária actuação e manobras de máquinas de lagartas, outras de pás de arrastar pedra e terra e ainda a circulação de camiões pesados sobre o velho e fraco piso primitivo existente, a metade não rasgada por abertura de valas mas que, por ser a parte livre, teve de aguentar com uma sobrecarga de maquinaria pesada que a deixou completamente em ruinas. A metade de velho piso já pobre e deficiente ficou incirculável: o piso quase desapareceu ou está partido, os buracos afundaram, alargaram e triplicaram.

Também está perigosa porque, devido à situação descrita atrás, os condutores dos sensíveis veículos actuais são levados a circular sobre a faixa lisa repavimentada e, qalquer que seja o sentido em que viajam, grande parte do percurso circulam em sentido contrário para fugirem à faixa velha em ruinas e intransitável.
Na fase actual dos trabalhos ainda há muitas pequenas "ilhas" de obras ao longo do percurso Gorjões-Santa Bárbara de Nexe pelo que a circulação faz-se lenta com precaução. Contudo, caso se mantenha esta aberração de estrada assim meia-feita meia-destruida, certamente andar nela tornar-se-á um elevado risco de ruina de veículos e vidas humanas.

A EM520 parece agora uma estrada estilo punk; metade brilha de saliente preto e outra metade está careca e coberta de feridas e mazelas.
Os gorjonenses, como camponeses genuínos, não são dados nem compreendem subtilezas de estética punk, nem mereciam gramar com tal absurdo prático.

Labels:

0 Comments:

Post a Comment

<< Home