Tuesday, May 07, 2013

MADURO BICHOSO




Este governo de mentira tem ensaiado todos os golpes baixos de que há memória para impor e fazer passar o seu plano ideológico de neoliberalismo puro e duro onde tudo é submetido à ordem do capital, incluindo as pessoas.
Durante os tempos de "estamos preparados para governar com a troika", "o memorando da troika é o nosso plano de governo", "o memorando da troika não é suficiente, é preciso mais"," queremos ir além da troika", "não é preciso mais tempo nem mais dinheiro" e outras fanfarronices feitas com certezas "made in gaspar", o governo tinha a força beligerante do ministro-equivalências Relvas e a malabarice cínica do paulinho.
Actualmente o mesmo governo está no tempo do "memorando inicial mal desenhado", do "memorando que Passos queria mais lato e com mais dinheiro mas foi impedido de negociar", "do memorando que é preciso executar custe o que custar" e muito especialmente "do memorando que exige um consenso alargado" e outras cobardices feitas pelos monumentais falhanços "made in gaspar", o governo tem a força consensualista do cagão ministro-académico outro maduro estrangeirado caça-títulos e tem o paulinho elevado a PM paralelo.
O cagão ministro-académico mal chegou ficou maduro tal qual o governo: ontem nos prós-e-contras o ministro sacou logo da sua ciência académica ditando que "a austeridade não é de direita ou de esquerda" como que a certificar a sua neutralidade e aplicação necessariamente. Claro a austeridade não tem esquerda nem direita como não têm a igualdade, a liberdade, a felicidade, a tranquilidade, a maldade, a santidade, a credibilidade e os seus contrários. O que tem esquerda e direita meu sofista são a forma, o conteúdo, a dose e a justiça como se aplicam essas qualidades.
Outra tese de académico-cagão vendida foi a de que o cumprimento subserviente faz que o país tenha credibilidade junto do "norte" para poder ser o interlocutor mediador junto do "sul". Onde estavas quando ainda há poucos dias os irlandeses chamaram "ministro da troika" ao gaspar? Para que querem os países do sul um mediador português para defender a opinião ética-protestante do norte se já lhes basta e sobra a poderosa Alemanha? Essa não é de ministro maduro, essa é de ministro já bichoso.
No resto o cagão ministro-académico que ainda há pouco criticava medidas deste governo mal lá assentou o rabo não faz mais que repetir integralmente a cartilha actual do agora seu governo.  

Labels:

0 Comments:

Post a Comment

<< Home