Friday, April 19, 2013

DESAPARECEI

Verdadeiramente já não há pinga de paciência para aturar tanto decadente geronte a papaguear a toda a hora razões, justificações, opiniões e instruções ao povo.
Não basta o eterno mestre-escola Cavaco a pregar banalidades como se fora descobertas científicas e seus pagens tradutores intelectuais e medíocres políticos PP e VGM, os banqueiros Mirra Amarral que apenas leu "free to choose" e ficou nessa, o Salgueiro que talvez tenha lido algo mais mas é mais do mesmo e papagueia um refrão sempre igual ou, se inova, inventa uma anedota.
Não basta os gerontes merceeiros belmiro e jerónimo a querer impôr um país governado como se fora mais uma loja de suas cadeias de mercearia dirigida por eles e tendo um primeiro-ministro como seu gerente e moço de recados.    
Não basta o conselheiro economista de papel e números Bento e o empinado categórico sádico-irónico Beleza, ambos sábios loucos serventuários da economia como ciência matemática à la Gaspar.
Não basta o decadente em estado putrefacto do Medina que papagueia de cor conversa de cangalheiro, apresenta mapas que nem sabe interpretar, que acusa males a torto e a direito mas é incapaz de fundamentar a mais pequena acusação, que como todo idiota sem assunto novo válido remete culpas para o bode expiatório do passado recente e propôe o regresso ao pior do negro  passado ditaturial.
Não basta o cartomante de feira MRS que arma tenda de mixórdias avulso e tanto vende velharias do lixo por novidades como inopinadas novidades reluzentes de fancaria, quando não mistura tudo numa caldeirada cuja fórmula alquímica só serve a sua própria tenda de negócio.
Não basta os papagaios de sala do MST e VPV, ficionista e historiador auto-armados em educadores do povo querendo que este pense segundo os seus preconceitos de fidalgotes burgueses.
Não basta os palhaços oportunistas humoristas da "luta" e "fedorentos", uns desaparecidos dos palcos das manifs e perseguições pessoais a políticos na rua e outros feitos humoristas privados da PT, todos acomodados nas mordomias obtidas assentes na notoriedade conseguida na onda crítica fretista aos patrões dos media.
Não basta ver e ouvir a toda a hora a escumalha do jornalismo e comentarismo tão acomodados nas redacções cumprindo estatutos editoriais ao serviço de estratégias comerciais, quase sempre repetindo a baba de deputados medíocres e manhosos como o montenegro, o amorim, a chinoca ou o puto durão menezes e outros chulos do orçamento.
Não bastava tudo isso para nos dar um ataque de repulsa cada vez que vemos-ouvimos esta cambada de pandegos tropegos mentais.
Pois não bastava, e assim temos ainda de gramar com o cabeça de porco do Catroga a chafurdar na merda que com alegria e patética satisfação nos legou para cumprir sob o jugo da sua desejada troika. O mesmo que rejubilou e se vangloriou por ter ido mais além que o governo anterior queria aceitar, o mesmo que se apresentou ufano como o herói negociador e perante os portugueses como o verdadeiro herói façanhudo que fez frente aos fracos do governo porque, contra este, impôs medidas mais duras que as exigidas. O mesmo que chamou a si todos os louros das negocições e assumiu como glória sua toda a "bondade" dos acordos do memorando com a troika. O mesmo que não quiz ficar numa foto oficial com o outro negociador porque isso o desprestigiava a ele, o verdadeiro pai das "boas" medidas negociadas.
Pois este geronte cabeçudo anda agora numa roda viva a propor consensos a quem desprezou. Pois este geronte cabeçudo quer agora na foto os que antes riscou dela por oportunismo nojento. Pois este geronte cabeçudo, com o barco a fundar-se e os 50.000 euros/mes em risco, parece uma barata tonta à procura de salvação.
Tal como Passos enganou os portugueses dizendo que os ia salvar da austeridade e duplicou-a alinhando com Gaspar e a troika, tal como Gaspar enganou os portugueses apresentando-se como seu defensor mas alinha com a troika e os alemães, assim, também tu geronte cabeçudo, fizeste todos os fretes à troika e ao Gaspar a troco de obter uma elevada tença e depois dissestes aos portugueses que foram os chineses que te contrataram.
Pois, afinal cada um de vós não é mais que a mão de outrem atrás do arbusto. Desaparecei, deixem  os portugueses resolver o país por si próprios. 
   

Labels:

2 Comments:

Blogger Janita said...

Com tanta gente a perceber de política, cá pela blogosfera, acho de uma injustiça tremenda que ninguém que aqui o venha ler, deixe a sua opinião. Concordando ou não com o que escreve, obviamente.
Eu só não concordo com a sua frase final.
Havia de ser bonito o País ficar ainda mais desgovernado e entregue ao Povo!
Já viu o caos que seria? Cada militante ou simpatizante, do respectivo partido político, a querer puxar a brasa à sua sardinha, não iam deixar ficar pedra sobre pedra.
Mas isto sou eu a falar, que de estratégia política não percebo nada.
Cumprimentos.

Janita

3:41 AM  
Blogger josé neves said...

Não proponho a anarquia, cara Janita. Pretendo que o povo se governe em democracia com os seus homens normais honestos e afastando os "sábios" ou "cientistas sociais" que, sob a sua pretensa superioridade intelectual, enganam a gente comum, a maioria.
Platão defendia que só os filósofos deviam governar contudo ele próprio foi um desastre como político. E outros também o foram antes dele e depois dele.
O que se defende aqui é sempre a democracia e o centro ou meio termo,o lugar que Aristóteles considerava o lugar onde reside a virtude. E para governar neste lugar, e bem, basta o homem normal de bom senso com sentido de Estado e de futuro. Os sábios podem ser bons assessores mas os homens sérios de bom senso é que devem definir os caminhos. Penso que, algum dia, isso possa ser possível em democracia.
Com os trapaceiros salvadores, esses que já andaram pelos vários governos e não resolveram nada, antes pelo contrário, e agora têm soluções para tudo, com esses messias trapaceiros é que não vamos a qualquer lugar bom.

8:12 PM  

Post a Comment

<< Home