Wednesday, April 24, 2013

ADÃO CONTREIRAS, POETA ARTISTA

APRESENTAÇÃO DO LIVRO " PÁGINA MÓVEL COM TEXTO FIXO" DO NOSSO CONTERRÂNEO GORJONENSE ADÃO CONTREIRAS.
No café "CHAF@RICA"
Moncarapacho - Belo Romão
(Antiga Cervejaria Pica-Pau)


QUE COMEÇA ASSIM:

Primeiro parágrado

... Estou pensando que poderia pensar 
mas não penso o que me deixa pensativo

Segundo parágrafo

... Pensando bem 
nunca pensei nada

Terceiro parágrafo

... Por vezes 
é na sombra das palavras que penso

E assim sucessivamente até ao
Centésimo primeiro parágrafo

... Sou eu na amalgama das coisas
na possibilidade de ser 
e depois não ser

Mas o melhor é ler o livro para entender a procura do pensamento e do pensamento encontrado pelo poeta artista.

Labels: ,

Friday, April 19, 2013

DESAPARECEI

Verdadeiramente já não há pinga de paciência para aturar tanto decadente geronte a papaguear a toda a hora razões, justificações, opiniões e instruções ao povo.
Não basta o eterno mestre-escola Cavaco a pregar banalidades como se fora descobertas científicas e seus pagens tradutores intelectuais e medíocres políticos PP e VGM, os banqueiros Mirra Amarral que apenas leu "free to choose" e ficou nessa, o Salgueiro que talvez tenha lido algo mais mas é mais do mesmo e papagueia um refrão sempre igual ou, se inova, inventa uma anedota.
Não basta os gerontes merceeiros belmiro e jerónimo a querer impôr um país governado como se fora mais uma loja de suas cadeias de mercearia dirigida por eles e tendo um primeiro-ministro como seu gerente e moço de recados.    
Não basta o conselheiro economista de papel e números Bento e o empinado categórico sádico-irónico Beleza, ambos sábios loucos serventuários da economia como ciência matemática à la Gaspar.
Não basta o decadente em estado putrefacto do Medina que papagueia de cor conversa de cangalheiro, apresenta mapas que nem sabe interpretar, que acusa males a torto e a direito mas é incapaz de fundamentar a mais pequena acusação, que como todo idiota sem assunto novo válido remete culpas para o bode expiatório do passado recente e propôe o regresso ao pior do negro  passado ditaturial.
Não basta o cartomante de feira MRS que arma tenda de mixórdias avulso e tanto vende velharias do lixo por novidades como inopinadas novidades reluzentes de fancaria, quando não mistura tudo numa caldeirada cuja fórmula alquímica só serve a sua própria tenda de negócio.
Não basta os papagaios de sala do MST e VPV, ficionista e historiador auto-armados em educadores do povo querendo que este pense segundo os seus preconceitos de fidalgotes burgueses.
Não basta os palhaços oportunistas humoristas da "luta" e "fedorentos", uns desaparecidos dos palcos das manifs e perseguições pessoais a políticos na rua e outros feitos humoristas privados da PT, todos acomodados nas mordomias obtidas assentes na notoriedade conseguida na onda crítica fretista aos patrões dos media.
Não basta ver e ouvir a toda a hora a escumalha do jornalismo e comentarismo tão acomodados nas redacções cumprindo estatutos editoriais ao serviço de estratégias comerciais, quase sempre repetindo a baba de deputados medíocres e manhosos como o montenegro, o amorim, a chinoca ou o puto durão menezes e outros chulos do orçamento.
Não bastava tudo isso para nos dar um ataque de repulsa cada vez que vemos-ouvimos esta cambada de pandegos tropegos mentais.
Pois não bastava, e assim temos ainda de gramar com o cabeça de porco do Catroga a chafurdar na merda que com alegria e patética satisfação nos legou para cumprir sob o jugo da sua desejada troika. O mesmo que rejubilou e se vangloriou por ter ido mais além que o governo anterior queria aceitar, o mesmo que se apresentou ufano como o herói negociador e perante os portugueses como o verdadeiro herói façanhudo que fez frente aos fracos do governo porque, contra este, impôs medidas mais duras que as exigidas. O mesmo que chamou a si todos os louros das negocições e assumiu como glória sua toda a "bondade" dos acordos do memorando com a troika. O mesmo que não quiz ficar numa foto oficial com o outro negociador porque isso o desprestigiava a ele, o verdadeiro pai das "boas" medidas negociadas.
Pois este geronte cabeçudo anda agora numa roda viva a propor consensos a quem desprezou. Pois este geronte cabeçudo quer agora na foto os que antes riscou dela por oportunismo nojento. Pois este geronte cabeçudo, com o barco a fundar-se e os 50.000 euros/mes em risco, parece uma barata tonta à procura de salvação.
Tal como Passos enganou os portugueses dizendo que os ia salvar da austeridade e duplicou-a alinhando com Gaspar e a troika, tal como Gaspar enganou os portugueses apresentando-se como seu defensor mas alinha com a troika e os alemães, assim, também tu geronte cabeçudo, fizeste todos os fretes à troika e ao Gaspar a troco de obter uma elevada tença e depois dissestes aos portugueses que foram os chineses que te contrataram.
Pois, afinal cada um de vós não é mais que a mão de outrem atrás do arbusto. Desaparecei, deixem  os portugueses resolver o país por si próprios. 
   

Labels:

Tuesday, April 16, 2013

VAMOS NO BOM CAMINHO (5)


Foi notícia na TV que uma mulher portuguesa anunciou um pedido de emprego a troco de comida.

Dá-lhes Passos, força Gaspar, a prova de que o "ajustamento" vai no bom caminho e no caminho certo está à vista.
Quando a maioria dos portugueses atingirem o necessário e elevado grau de consciência patriótica desta mulher e solicitar trabalho por comida, o vosso ajustamento deverá estar prestes a ficar concluido. E ficará concluido em beleza quando os pedidos de trabalho forem a troco de apenas uma sopa diária.  Nesse momento seremos não só altamente competitivos como o mundo empresarial do planeta virá cá buscar toda a força de mão de obra concebida, perdão, produzida. 
Então o nosso Estado tornar-se-á um exportador total de mão de obra transasionável a x por cabeça exportada, tornar-se-á rápida e imensamente rico como se tivesse descoberto uma imensa reserva de petróleo. Petróleo vermelho.

Labels:

Tuesday, April 09, 2013

9 DE ABRIL HÁ 95 ANOS

VERSO E REVERSO DE UM FRANCO DESSE TEMPO SOB A FORMA DE MEDALHA TRAZIDA COMO RECORDAÇÃO DA GUERRA 1914-1918 
  


















 "A 9 de Abril, depois de um bombardeamento que durou vinte e quatro horas, iniciou-se a Batalha de La Lys.
Catorze divisões alemães atacaram numa frente de dezaseis quilómetros. Como sucedera no Somme três semanas antes, os britânicos foram obrigados a recuar. E o mesmo sucedeu a uma divisão portuguesa, contra a qual os alemães enviaram quatro divisões, fazendo 6000 prisioneiros portugueses e conseguindo abrir uma brecha de sete quilómetros na linha britânica. O bombardeamento inicial de artilharia dos alemães foi de tal forma feroz, que um batalhão de portugueses se recusou entrar nas suas trincheiras. 
E criou-se ainda mais confusão quando foram descarregadas 2000 toneladas de gás de mostarda, fosgénio e dedenilcloroarsina contra as forças britânicas, incapacitando 8000 homens, dos quais muitos ficaram cegos e matando trinta"  

Martin Gilbert in "A Primeira Guerra Mundial"

Nesse dia 9 de Abril de 1918 e naquelas trincheiras, entre muitos Soldados dos Gorjões e arredores, estava o meu Pai. Um dos 8000 homens incapacitados pelo gás mostarda foi o gorjonense José Pinto Pires, primo de meu Pai, mais tarde conhecido como o "Zé da Barba Pinta", tratado por "gaseado" e maluquinho que passava o dia na estrada para trás e para a frente com uma saca às costas onde às vezes alguém metia um pouco de pão lá dentro.

Além da homenagem devida aos combatentes dessa guerra e desse dia trágico é também bom recordar, no tempo actual e nos dias que correm, que os alemães quando atacam não deixam dúvidas e é para nunca mais poder ser esquecido.

Labels: ,

Sunday, April 07, 2013

FACULDADES, TER OU NÃO TER EIS A QUESTÃO


 Cavaco tem reclamado para a sua pessoa que: 
- Raramente se engana e nunca erra. 
- Acerca de tudo que acontece hoje já tinha avisado e escrito em algum lado que iria acontecer. 
Ora, sendo senhor de tão elevado poder de infalibilidade de prever e agir era seu dever indicar o caminho certo aos portugueses nesta hora difícil. 
Este é o momento certo para usar as suas faculdades invulgares e convencer os portugueses que as possui mesmo no tempo e no sítio certo. 
Caso contrário, os portugueses já desconfiados pelo seu apadrinhamento a este governo tão falho de qualidades, julgarão que estão perante mais um embuste có(s)mico. 

Labels: ,